Frente Nacional Contra a Privatização quer sociedade em defesa do patrimônio nacional

Ato reuniu políticos, sindicalistas e movimentos populares

 

Por Norian Segatto

Ato na manhã da quinta-feira, 19, na Assembleia Legislativa de São Paulo da Frente Nacional Contra a Privatização reuniu dirigentes políticos (como o senador Roberto Requião), parlamentares de diversos partidos (como a deputada Leci Brandão, do PCdoB), as centrais CUT, Intersindical, Força e UGT, a nossa federação FUP, a FNP, MST, movimentos populares e entidades sindicais de petroleiros, (Unificado e LP), ferroviários, correios, bancários, e outras categorias cujas empresas públicas estão na mira da privatização.

A intenção do ato foi o passar para a sociedade a necessidade de mobilização em defesa do patrimônio nacional ameaçado com a política entreguista do governo de Jair Bolsonaro.

O diretor do Unificado, Alexandre Castilho, falou em nome da FUP e dos sindicatos, mostrando a importância da empresa para o desenvolvimento nacional e convocou os participantes a se integrarem nos atos em defesa da soberania e contra a privatização, que ocorrem no Rio de Janeiro e em Curitiba, no dia 3 de outubro, data do aniversário de criação da Petrobrás.

A Frente atuou em 2017, durante o governo de Michel Temer (MDB), e agora volta a ser prioridade dos partidos políticos do campo democrático e de movimentos sociais. Atualmente, conta com o apoio de 258 deputados e senadores.

A Frente é presidida pela senadora Zenaide Maia (Pros/RN),tem o deputado Patrus Ananias (PT/MG), como secretário geral e o ex-senador Roberto Requião presidente de honra.

 

Posts relacionados

Desmonte ataca a soberania energética e alimentar, afirma Castilho

Andreza de Oliveira

“Vamos parar o Brasil”, anuncia liderança caminhoneira

Andreza de Oliveira

Unificado participa do lançamento da Frente em Defesa da Energia

Andreza de Oliveira