TST julga nesta quarta ACT dos Correios

Por Norian Segatto

Nesta quarta-feira, 2, a partir das 14h, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) julga a continuidade do acordo coletivo dos trabalhadores da Empresa de Correios (ECT).

A categoria luta pela manutenção d os direitos conquistados pelo atual acordo, e por reajuste salarial de 3,25%, baseado na inflação do último período. A data-base da categoria é 1° de agosto.

Os empregados da ECT também se mobilizam conta a tentativa de privatização. Essa tem sido a lógica dos trabalhadores de empresas públicas como a Petrobrás e a CEF, entre outras, na mira da ganância financista patrocinada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, o Chicagoboy do capital internacional.

A direção da ECT apresentou no início da campanha salarial, uma proposta para um novo acordo coletivo com a supressão de cláusulas de proteção, além de cortes em diversos benefícios. Se isso lhe parece familiar, petroleiro, pode ter certeza de que não é apenas coincidência, mas uma estratégia governamental para acabar com as empresas públicas.

 Os funcionários da ECT estão apreensivos com o julgamento, porque historicamente, as decisões do TST não têm sido favoráveis aos trabalhadores.

O secretário-geral da Federação dos Trabalhadores nos Correios, José Rivaldo Silva, afirmou que “após marcar o julgamento desta quarta, o TST propôs a suspensão da greve e os trabalhadores aceitaram. Já as propostas do TST aos Correios foram ignoradas pela direção da empresa. Não houve nenhum gesto dos Correios em querer negociar”.

 Com informações CUT