Eleição para o CA da Transpetro vai até dia 26. Vote 3000

Série "Pra defender tem que conhecer" – Eleições CA Transpetro

Nesse terceiro vídeo da série "Pra defender tem que conhecer" nosso tema será sobre a lei do petróleo, fim do monopólio e a criação da Transpetro. Assista!Eleições CA Transpetro#Homero3000

Posted by Homero 3000 – Eleições CA Transpetro on Wednesday, January 8, 2020

Por Norian Segatto

Já está em curso a eleição para a escolha do representante dos trabalhadores no Conselho de Administração da Transpetro, importante empresa do Sistema Petrobrás. A direção do Sindipetro Unificado, da FUP e dos outros sindicatos filiados à Federação apoia a candidatura de Felipe Homero Pontes, trabalhador lotado no Espírito Santo. O número da Chapa é 3000.

Homero tem 37 anos e é Técnico de Operação Pl. na Transpetro, com passagens no Terminal Norte Capixaba (TNC) e no Terminal Aquaviário de Barra do Riacho (TABR). Ele ingressou no Sistema Petrobrás em 2006 e em 2017 teve sua primeira experiência como candidato ao Conselho de Administração. Ficou em terceiro lugar na disputa.

De lá pra cá, participou ativamente da Frente Parlamentar em Defesa da Petrobrás e como membro da Brigada Petroleira das lutas contra a privatização do Sistema Petrobrás.

Homero é formado em Operação e Produção de Petróleo e Gás pelo SENAI de Campos dos Goytacazes, bacharel em Engenharia Química pela Fundação São João Batista, Aracruz e pós-graduado em Investimento e Mercado Financeiro pela FUCAPE/ES.

Em entrevista concedida para o jornal do Unificado, Homero destacou a importância da companhia para o Sistema Petrobrás, a lógica de um sistema integrado (refino e logística) e os riscos da privatização da companhia. Segundo Homero, além de política e economicamente  equivocada, a venda da Transpetro é ilegal do ponto de vista jurídico. “No estudo técnico que elaborei mostro que privatizar a Petrobrás e a Transpetro é um processo ilegal, que fere a lei do petróleo (9478), que criou a Transpetro. Ora, se a empresa foi criada por força de lei, o governo só pode abrir mão do controle se o artigo 65 dessa lei for revogado. Isso se chama paralelismo formal. A lei 9491, que criou o Programa Nacional de Desestatização estabelece um rito jurídico para a privatização, mas o artigo 3º diz que está vedada a privatização do Banco do Brasil, da CEF, e das atividades do Sistema Petrobrás elencadas no artigo 177 da Constituição Federal, que são, entre outros, o refino e o transporte. Ou seja, a lei de desestatização proíbe a privatização do refino e da logística”, afirma o candidato.

Clique aqui e confira a íntegra da entrevista, conheça mais das propostas e opiniões de Homero em suas redes sociais e não deixe de votar.

No decorrer desta semana, Homero estará visitando bases da Transpetro em São Paulo.

Posts relacionados

A Transpetro pode ser desintegrada, afirma candidato ao CA

Andreza de Oliveira