• Home
  • Daesp
  • A crise do coronavírus: nosso papel é ficar em casa

A crise do coronavírus: nosso papel é ficar em casa

Médico que assessora o sindicato explica as medidas de prevenção ao vírus; comunicação prioriza canais de divulgação online

A principal forma de diminuir a curva de contágio do vírus é ficar em casa. Foto: Roberto Parizotti

 

Por Andreza de Oliveira*

Desde a segunda quinzena de março, brasileiros de todas as partes do país, principalmente dos grandes centros, vêm enfrentando situações nada convencionais. Escolas fechadas, recomendações de distanciamento social e hospitais lotados sinalizam o agravamento do contágio do novo coronavírus no Brasil.

Envolto em muitas incertezas, o novo vírus (que ainda não possui cura) preocupa o mundo. Até à última segunda-feira (23), 25 mortes e 1.546 pacientes infectados, de acordo com o Ministério da Saúde, fazem parte das estatísticas brasileiras para o COVID-19.

O médico que assessora o Sindipetro Unificado, doutor Adilson Campos, esclarece algumas das principais dúvidas sobre a pandemia do novo coronavírus e quais são as medidas indicadas para conter a propagação da doença.

“O isolamento social é primordial, principalmente para os que fazem parte do grupo de risco (idosos, diabéticos, hipertensos, portadores de insuficiência cardíaca, renal ou doença respiratória crônica), somado aos cuidados com a higiene redobrados”, explica Campos.

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), o COVID-19 é facilmente propagado e, na maior parte das vezes, costuma ser assintomático para crianças e jovens. Pacientes diagnosticados com o novo coronavírus devem ser isolados e quem entrou em contato com eles também, já que o vírus se propaga rapidamente pelo ar.

“Cobrir a boca ao tossir ou espirrar é uma das medidas essenciais para impedir a propagação, aliada à higiene das mãos com o uso de água e sabão sempre que possível, e quando não for, fazer o uso de álcool gel”, completa Campos.

Nas sedes do Unificado, todos os funcionários foram dispensados do trabalho presenciais e estão realizando suas tarefas de casa. “Quanto menos aglomeração, melhor. O isolamento social é primordial, talvez a principal medida para evitar o contágio e adoecimento pelo novo coronavírus”, afirma o médico.

Para o petroleiro aposentado Benedito Ferreira, presidente do DAESP, ações como a adoção de quarentena e isolamento são importantes e necessárias para o combate à disseminação desse novo vírus. “Num momento de crise, é fundamental que fiquem suspensas quaisquer atividades que possam colocar a vida dos aposentados em risco”, alertou.

Devido ao coronavírus, o Quinta Total, evento organizado pelos aposentados semanalmente em Campinas (SP), foi suspenso como forma de prevenção à disseminação do vírus.

 

Mas afinal, o que é coronavírus?

Por conta de seu formato de “coroa”, o novo coronavírus (identificado como COVID-19) forma uma ampla família com mais outros seis vírus do tipo, que também são capazes de infectar humanos. Um dos mais conhecidos é o SARS-CoV-2 (responsável pela Síndrome Respiratória Aguda Grave), que matou cerca de 800 pessoas ao redor do mundo em 2002.

Pouco se sabe sobre o início do surto do CODIV-19, apenas que os primeiros casos identificados apareceram em dezembro de 2019 na cidade chinesa de Wahun, com cerca de 11 milhões de habitantes.

 

Continue acessando nosso conteúdo

Com as restrições para impedir a propagação do novo coronavírus, as publicações impressas do Unificado estão suspensas por tempo indeterminado.

Para continuar acompanhando as principais atualizações e notícias da categoria e do DAESP, baixe agora mesmo nosso aplicativo clicando aqui.

A Rádio Peão também não para! Acompanhe ao vivo clicando aqui.