População reage contra Petrobras

Com a divulgação pela imprensa de que a Petrobras irá contratar mão de obra despreparada para figurar como contingência durante a atual greve dos petroleiros, dezenas de associações de moradores vizinhos às fábricas da empresa estão se mobilizando para ingressar com Ação Popular em face da Petrobras por ato lesivo ao meio ambiente (CRFB, art. 5°, LXXIII), com pedido de liminar, a fim de evitar que tal irresponsabilidade administrativa ocorra.

Não bastasse conviver à beira de indústrias de grande periculosidade, com investimentos em segurança cada vez menores, os cidadãos irão à Justiça Federal para impedir que tamanha loucura aconteça.

O mercado não prepara profissionais para atuarem em refinarias, já que a Petrobras possui curso de formação interna com duração de meses para treinamento específico dos seus concursados. Pior ainda: a empresa está mirando os aposentados, que, além de desatualizados, não por acaso possuem uma deficiência física natural de sua idade, limitante para atuação operacional e, sobretudo, para emergências, como combate a incêndios e evacuação.

Vale lembrar que, diferentemente do que ocorre nas ações da Justiça do Trabalho, os autores de Ações Populares na Justiça Federal são isentos de custas judiciais e do ônus da sucumbência , já que a boa-fé é evidente por parte dos moradores.