Nesta quinta, ato por segurança na Replan

O Sindicato realiza na manhã desta quinta-feira (19), na entrada da Replan, um ato em defesa da vida. O objetivo é alertar sobre os acidentes que vêm ocorrendo com frequência na refinaria, colocando em risco os petroleiros e a comunidade, e reivindicar mais segurança aos trabalhadores.
A política de sucateamento da empresa, aliada ao descaso da atual gestão da Petrobrás, transformou a refinaria em um barril de pólvora, que pode explodir a qualquer momento. Há tempos, os petroleiros da Replan trabalham sob ameaça constante. Neste ano, especialmente, o número de ocorrências assustou. Foram muitos casos registrados e vários deles em um mesmo dia.
Só na terça (17) ocorreram cinco situações: um tanque de óleo combustível pegou fogo na TE, houve um princípio de incêndio em um compressor do Craqueamento, uma parada acidental de um forno na UGH e a queda de um turbo gerador e também de uma caldeira, ambos na Cafor.
Nenhum dos casos teve vítimas, mas demonstra a precarização das condições de trabalho. A empresa direcionou seus objetivos para metas individuais, atreladas a índices de produção, e para alcançar o resultado esperado, muitas vezes, a gerência acaba negligenciando as questões de segurança.
O efetivo reduzido é outra consequência do aumento de ocorrências. “Houve uma saída em massa de trabalhadores mais antigos e experientes, por conta do PIDV, e a empresa não está recompondo essa mão de obra”, afirma o diretor Gustavo Marsaioli.

Em busca de soluções

O Sindicato defende que a Replan invista, de forma maciça, em manutenção e segurança e que a Petrobrás se disponha a conversar com a direção da entidade, em busca de alternativas para evitar novos acidentes e garantir mais segurança aos petroleiros.

 

Histórico de acidentes

Desde 2016 tem se intensificado os casos de insegurança na Replan. Nos últimos dois anos ocorreram os maiores acidentes já registrados na Refinaria. Isso não é mero acaso, é consequência direta da política de desmonte da companhia. Não podemos admitir que interesses econômicos causem a morte de trabalhadores, pois é nesse cenário que estamos na iminência de presenciar.

Confira na tabela a seguir, os principais acidentes na replan ocorridos nos últimos anos.

Notícias Relacionadas

Sindicato orienta adm a não assinar o preenchimento de frequência reduzida

Ademilson Costa

Primeiro caso de coronavírus é confirmado na Replan

Andreza de Oliveira

Petrobrás usa coronavírus para tirar homologação do sindicato

Luiz Carvalho