UTE-LCP registra dois acidentes no prazo de oito dias

Com efetivo reduzido e sem programa de manutenção, a UTE LCP, em Três Lagoas (MS), registrou no mês passado, no prazo de oito, diasdois acidentes com grande potencial de vítimas. A primeira ocorrência foi no em 21 de maio, quando cerca de 1,5 mil litros de óleo lubrificante vazaram da TG-1B. No dia 29, houve um incêndio no transformador de potência da Subestação.

Segundo apurou o Sindicato, os dois acidentes se deram, principalmente, pela deficiência no planejamento da manutenção, que não tem sido executada por falta de trabalhadores. No caso do vazamento, por exemplo, não havia uma programação para a retirada da bomba, que foi removida sem nova análise de risco e sem a devida adequação do libra.
Oito dias depois, um transformador de potência da subestação pegou fogo. Para combater o foco de incêndio, o operador utilizou o extintor de pó químico. A mangueira do equipamento se soltou do gatilho e, por sorte, não atingiu o trabalhador, que saiu correndo da nuvem de pó que se formou na área.

De acordo com relatos, o engenheiro que deveria cuidar do processo de manutenção está ocupado com outras atribuições. “Ao invés de tratar de pontos realmente relevantes para garantir a segurança dos trabalhadores e a confiabilidade na usina, o engenheiro está fazendo serviços de secretário do gerente”, afirmam trabalhadores.

O Sindicato está cobrando a investigação dos acidentes e aguardando pelo posicionamento da UTE, que até agora não se pronunciou. “A usina vem operando com efetivo abaixo do número mínimo, o que coloca em risco não somente os trabalhadores como também toda a comunidade vizinha da termelétrica”, alerta a direção do Sindicato.

 

Posts relacionados

Vitória: Petroleiros de Três Lagoas (MS) vencem ações contra Petrobrás

Andreza de Oliveira

Após pressão do Unificado, Petrobrás adia manutenção em Três Lagoas (MS)

Luiz Carvalho

Petrobrás usa avaliação de saúde ocupacional para especular sobre teletrabalho

Luiz Carvalho