Unificado quer acompanhar processo de cessão onerosa no TCU

O Sindicato, por meio da Advocacia Garcez, entrou nesta terça-feira, dia 7, com um pedido no Tribunal de Contas da União (TCU) para acompanhar o processo de revisão do contrato da cessão onerosa em áreas do pré-sal. Os advogados querem ter acesso aos documentos e termos do processo, para assegurar que tudo transcorra com lisura e a favor dos interesses do povo brasileiro.

Para o representante dos trabalhadores no Conselho de Administração da Petrobrás, Danilo Silva, é muito importante acompanhar de perto o processo da cessão onerosa, já que envolve muitos interesses políticos. “O governo tem o controle acionário da Petrobrás e grande envolvimento nesse tema. Nesse sentido, é preciso garantir que o contrato seja bom para a Petrobrás e o Estado brasileiro”, afirmou.

5 bilhões de barris

A cessão onerosa foi um acordo firmado em 2010 entre a União e a Petrobrás, permitindo à estatal extrair 5 bilhões de barris de petróleo em áreas do pré-sal na Bacia de Santos, litoral paulista, pelo prazo de 40 anos. Em 2011, a Petrobrás descobriu que havia muito mais petróleo do que o previsto. Especialistas estimam o potencial da área em cerca de 15 bilhões de barris de óleo equivalentes (boe) adicionais.

Leilão
O governo de Michel Temer pretendia leiloar esse excedente, mas a negociação não avançou. Na época, a expectativa de ressarcimento para a Petrobrás era de R$ 14 bilhões. Bolsonaro retomou a proposta, marcou o leilão para 28 de outubro e baixou o valor do ressarcimento para R$ 9 bilhões.

“Bolsonaro acha que tudo pode ser feito na canetada, mas a questão envolvendo essa negociação é muito mais abrangente. Como se dará a relação entre a Petrobrás e o eventual novo sócio, como será pago o investimento que a companhia já fez e como se dará a operação futura, inclusive financeira? Essas são algumas das perguntas que continuam sem respostas”, aponta o coordenador do Unificado, Juliano Deptula.

Posts relacionados

Petrobrás admite veiculação de 2 milhões de anúncios em sites com conteúdo impróprio

Guilherme Weimann

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Clique aceitar se você está de acordo ou pode cancelar, se desejar. Aceito Ler Mais

Política de Privacidade