Transvestruz continua na moita

Há várias semanas o Sindicato encaminhou à Transpetro ofício para obter respostas a problemas que estão ocorrendo, mas até o momento, a gerência não se prontificou a encaminhar nenhum retorno.

Um dos ofícios diz respeito à mudança da sede do Edisp 2. Houve uma primeira conversa, a empresa se comprometeu a apresentar novos estudos, mas até o momento nada aconteceu. Outro ponto cobrado pela direção do Unificado é em relação aos técnicos de segurança da empresa Falcão Bauer; um ofício foi encaminhado no dia 31 de janeiro para o gerente de contrato, porém, ainda não houve retorno

“Essa postura de Transvestruz, de fingir que o assunto não é com a gerência, não adianta, vamos continuar cobrando e denunciando o descaso com os trabalhadores”, afirma o coordenador da Regional São Paulo, Felipe Grubba.

Posts relacionados

Assembleias discutem luta contra privatização da Petrobrás e contribuição assistencial

Guilherme Weimann

Prestadora de serviços da Transpetro descumpre limitação de turno

Andreza de Oliveira

Após 20 meses de sua eleição, petroleiro tomará posse no CA da Transpetro

Guilherme Weimann