Transpetro estuda desativar Edisp 2 na avenida Paulista

Assim como está ocorrendo com os trabalhadores/as do prédio da Petrobrás na avenida Paulista 901 (Edisp 1), os do Edisp 2 também estão atentos para possíveis mudanças.

Para obter mais informações, os dirigentes do Sindicato, Felipe Grubba, Cibele Vieira e Alexandre Castilho se reuniram com a gerência do Compartilhado na segunda-feira, dia 25. A gerência informou que está sendo realizado um estudo de viabilidade econômica para a mudança do prédio do Edisp 2 para outro local de menor custo, mas que ainda não há uma definição sobre o tema.

A companhia diz estar analisando várias possibilidades como coworking, mudança para um prédio em São Caetano do Sul ou outro local, se for vantajosa a mudança. “O Sindicato não se opõe a que a empresa busque locais mais econômicos, mas quer garantir as condições de trabalho dos empregados, caso o prédio da Avenida Paulista seja desativado, o ideal é que se encontre um local de fácil acesso, próximo a uma estação de metrô e que todos os empregos sejam garantidos”, afirma o coordenador da Regional São Paulo, Felipe Grubba.

Posts relacionados

Transpetro ameaça trabalhadores por velocidade registrada com equipamento impreciso

Andreza de Oliveira

Apesar da cobrança da FUP, Transpetro inicia desconto do banco de horas nesta quarta

Guilherme Weimann

Sem detalhes ou valores, Transpetro alega erro em banco de horas

Andreza de Oliveira