Sindipetro-SP solicita retorno dos micro-ônibus para transportar petroleiros da Recap

As vans têm aumentado riscos de contaminação e segurança; duas tentativas de assalto ocorreram em menos de 15 dias

Diretor do Sindipetro-SP foi assaltado quando descia da van na última terça-feira (13)

Por Guilherme Weimann

Na última quarta-feira (14), o Sindicato Unificado dos Petroleiros do Estado de São Paulo (Sindipetro-SP) enviou um ofício à Refinaria de Capuava (Recap), localizada em Mauá (SP), solicitando a reconsideração em caráter de urgência do transporte oferecido aos trabalhadores da unidade, que pertence à Petrobrás. A categoria reivindica a substituição de vans por micro-ônibus.

O pedido foi motivado por duas tentativas de assalto a uma mesma linha em um intervalo de menos de 15 dias. Na primeira, houve perseguição na rodovia Índio Tibiriçá (SP-031). A segunda ocorreu na última terça-feira (13), a mão armada, que acabou resultando no roubo de todos os objetos pessoais de um dos diretores do Sindipetro-SP, no momento em que descia da van para entrar em sua residência.

Em julho do ano passado, o Sindipetro-SP já havia oficiado a refinaria quando soube da decisão unilateral de retomar o transporte com vans. Em plena pandemia, a mudança gerou mais riscos de contaminação, por não ter uma cabine de isolamento para o motorista e possuir menos espaço para o distanciamento entre os próprios petroleiros.

Histórico

A região da Grande São Paulo, onde está instalada a Recap, viveu nos últimos anos uma escalada de casos de assalto a vans. Em 2012, diversos trabalhadores da unidade chegaram a ser mantidos como reféns.

Esse episódio foi o estopim para a parte da categoria reivindicar a substituição das vans por micro-ônibus, o que foi aceito pela gestão da unidade após um processo de negociação mediado pelo Sindipetro-SP.

Entretanto, após o vencimento do contrato com a prestadora de serviço, a Petrobrás voltou a contratar vans em julho do ano passado, menos de quatro meses após o início da pandemia do novo coronavírus.

Confira o ofício na íntegra:

Posts relacionados

Após regularização dos salários, petroleiros suspendem greve em São Paulo

Guilherme Weimann

Petroleiros vacinados iniciam arrecadação de alimentos não perecíveis em Campinas

Guilherme Weimann

Sindipetro-SP apoia a chapa ‘Juntos pela Petros’

Andreza de Oliveira