Sindipetro-SP cobra reunião emergencial com a Transpetro

Diversos trabalhadores estão recebendo contracheques zerados, sem qualquer explicação da empresa

Em alguns casos, os salários foram zerados sem qualquer explicação da empresa (Foto: Roberto Parizotti)

O Sindicato Unificado dos Trabalhadores do Estado de São Paulo (Sindipetro-SP) enviou ofício requisitando uma reunião emergencial com o setor de Recursos Humanos (RH) da Transpetro – subsidiária integral da Petrobrás responsável pelo transporte e logística de combustíveis – para tratar sobre descontos indevidos realizados nos contracheques dos trabalhadores.

Sem nenhuma informação prévia, diversos petroleiros notificaram o Sindipetro-SP sobre deduções nos seus salários neste mês de fevereiro. Em alguns casos, os contracheques chegaram zerados.

“É inadmissível o que está ocorrendo, precisamos de agilidade para resolver esse problema o mais rápido possível. Ter os salários descontados ou zerados em plena pandemia, sem qualquer aviso ou explicação, é um absurdo. Esperamos agilidade do RH da Transpetro na resolução dessa questão”, afirma o diretor do Sindipetro-SP, Felipe Grubba.

O sindicato manterá os trabalhadores atualizados por meio do site e das redes sociais, mas também orienta que cada petroleiro lesado abra uma ocorrência no Serviço de Atendimento ao Empregado (SAE), para cobrar explicações da empresa.

Posts relacionados

A quem interessaria a privatização da AMS?

Guilherme Weimann

Petrobrás fere Acordo Coletivo e descumpre liminares relacionadas à AMS

Guilherme Weimann

Caravana unificada tem saldo positivo contra terceirizações em São Paulo

Andreza de Oliveira