Sindipetro-SP cobra melhorias nos serviços oferecidos pela AMS em Ribeirão Preto (SP)

Em documento entregue à instituição, Sindipetro-SP aponta que lista de profissionais disponível no site é inferior ao número real e cobra providências da Transpetro e Petrobrás

ams
Relatório aponta que apesar de site listar 48 credenciados, número real de é de apenas 39 em Ribeirão Preto (Arte: Reprodução)

Desde o início deste ano, petroleiros – aposentados e ativos – e pensionistas de Ribeirão Preto (SP) têm relatado uma queda na qualidade dos serviços ofertados pela Assistência Multidisciplinar de Saúde (AMS) – plano de saúde suplementar ofertado aos trabalhadores da Petrobrás.

Por isso, o Sindicato Unificado dos Petroleiros do Estado de São Paulo (Sindipetro-SP) tem realizado uma série de reuniões e enviado cobranças formais à entidade. No dia 7 de outubro, um relatório foi enviado à AMS sobre a situação da sua rede credenciada em Ribeirão Preto. O documento também foi encaminhado ao setor de Recursos Humanos (RH) da Petrobrás e da Transpetro para intermediar diálogo com a AMS.

Leia também: Petroleiros do Osbra relatam dificuldades para atendimento por plano de saúde

O documento tem um relatório anexo, realizado pelos beneficiários da AMS no município, que detalha a situação do plano de saúde e propõe medidas imediatas para melhoria da qualidade do serviço, garantido no último Acordo Coletivo de Trabalho (ACT). De acordo com a lista de credenciados do site Saúde Petrobrás em Ribeirão Preto, a rede conta com 48 credenciados, entre profissionais, clínicas e hospitais. Entretanto, o levantamento aponta que o número real de credenciados é de 39 (quase 20% menor).

Para que houvesse referência comparativa, também foi realizado um levantamento na rede credenciada da AMS da cidade de Campinas (SP) – que cobre a região da maior refinaria do Sistema Petrobrás, a Refinaria de Paulínia (Replan) –, para maior entendimento do que poderia ser considerado um padrão do Saúde Petrobrás a seus beneficiários em Ribeirão Preto.

O levantamento mostra que a cidade de Campinas possui 340 credenciados, entre profissionais, clínicas e hospitais, e 108 especialidades, enquanto Ribeirão Preto possui apenas 44 especialidades. Dentre elas, é possível notar que algumas das especialidades oferecem uma única opção de atendimento, como é o caso da Emergência Pediátrica, dos hospitais e clínicas especializadas em Cardiologia e dos serviços de Oftalmologia, que, além da falta de opção de profissionais credenciados, não oferece disponibilidade de atendimento 24h.

Ocorrências

No relatório, também são mencionadas algumas ocorrências, relacionadas à falta de informação e efetividade do plano. Uma delas ocorreu com um beneficiário que, após solicitação médica, realizou uma bateria de exames na Clínica Civil – FAEPA (credenciada), porém, somente após a realização, foi informado que o plano não cobria um destes exames, no valor de R$ 600, que posteriormente teve o reembolso negado pelo plano por não se enquadrar na modalidade “Livre Escolha”.

Outro beneficiário, cuja filha havia sofrido trauma na região da cabeça, procurou um neurologista, disponível somente na FAEPA, mas a agenda mais próxima era somente em 45 dias.

O relatório também aponta que tanto a Clínica Civil (FAEPA), quanto o Hospital VIVER, teriam condições de agregar maior valor à lista de credenciados. Contudo, nem todos os profissionais e serviços disponibilizados por estas duas instituições foram credenciados pela instituição responsável pela oferta do plano (ainda que façam parte do portfólio do plano em outros locais), ocasionando situações de desconforto e constrangimento aos beneficiários.

Desde junho deste ano, o Saúde Petrobrás disponibiliza para alguns estados, os serviços UNIMED, denominado Rede Indireta UNIMED, com o intuito de melhorar sua oferta de profissionais e serviços nas regiões onde o plano enfrenta dificuldade em atender os beneficiários. 

Por isso, a partir do relatório realizado em Ribeirão Preto, os beneficiários cobram da AMS um estudo de viabilidade para incluir uma parceira com plano de saúde que garanta a qualidade do atendimento para os beneficiários da Saúde Petrobrás. Contudo, até o momento a Petrobras não respondeu a essa demanda.

Posts relacionados

Familiares e amigos celebram a memória de Jacó Bittar: “Vive em todos nós”

Guilherme Weimann

Nos 50 anos da maior refinaria do país, petroleiros reivindicam o futuro da Petrobrás

Guilherme Weimann

Confira o passo a passo dos golpistas que se passam por advogados do Sindipetro-SP

Guilherme Weimann