Sindicato quer fundo garantidor para suprir calote da JPTE

Apesar de se comprometer em fazer o pagamento dos salários e direitos que estão atrasados aos funcionários que prestam serviços na Transpetro (entre eles o 13º), a JPTE Engenharia descumpriu mais uma vez o estabelecido. A empresa deveria ter honrado seus compromissos até o dia 31 de janeiro.

Diante disso, a direção do Unificado enviou um ofício ao RH da Transpetro solicitando uma reunião para tratar do assunto. O ofício do Sindicato requer que a Transpetro utilize o Fundo Garantidor, conforme prevê a Cláusula 91 do ACT, para efetuar o pagamento diretamente aos trabalhadores da JPTE.

“Correm notícias de que em fevereiro uma nova empresa vai assumir o lugar da JPTE, o que gera incerteza por parte dos motoristas, se estarão na nova empresa e se irão receber os atrasados, o depósito do FGTS e os demais direitos”, informa o coordenador da Regional São Paulo, Felipe Grubba, que acusa a política de desmonte dos direitos trabalhistas promovidos pelo governo Bolsonaro como incentivador de tal situação.

Posts relacionados

Assembleias discutem luta contra privatização da Petrobrás e contribuição assistencial

Guilherme Weimann

Prestadora de serviços da Transpetro descumpre limitação de turno

Andreza de Oliveira

Após 20 meses de sua eleição, petroleiro tomará posse no CA da Transpetro

Guilherme Weimann