Sindicato participa de debate sobre segurança na Replan

O coordenador da Regional Campinas do Unificado, Gustavo Marsaioli, participou dia 29 de uma reunião na Prefeitura de Paulínia, que discutiu questões de segurança nas operações da Replan. A reunião foi convocada pelo prefeito da cidade, Dixon Carvalho (PP), em decorrência da explosão ocorrida na refinaria na madrugada do dia 20.
Marsaioli destacou que esse acidente foi o mais grave na história da Replan. Ele criticou a precarização das condições de trabalho nas unidades da Petrobrás e apontou a redução do efetivo mínimo operacional e a falta de investimento em manutenção como alguns dos principais fatores responsáveis por acidentes hoje na empresa. “Apesar de todos os problemas financeiros vividos pela Petrobrás devido aos escândalos de corrupção dos últimos anos, nós, do Sindipetro, não acreditamos que a ausência de manutenção venha da falta de capacidade de investimento financeiro. Se esse investimento deixa de ser feito, ele deixa de ser feito por uma opção do alto escalão da Petrobrás”, afirmou.

Comissão
O prefeito informou que foi criada uma comissão municipal para acompanhar de perto a situação da refinaria. “É minha função como prefeito buscar caminhos para garantir segurança para os trabalhadores da Replan e os cidadãos da nossa cidade. Estamos cobrando a Petrobrás e faremos, em breve, uma visita às dependências da Replan”, declarou.
A reunião contou com representantes da Cetesb, PAM (Plano de Auxílio Mútuo), Corpo de Bombeiros e Polícias Civil e Militar, além do Unificado. O gerente geral da Replan foi convidado, mas não compareceu e enviou um ofício justificando a ausência.