Replan: Sindipetro cobra ação de combate aos carrapatos, vetores da febre maculosa

Em ofício enviado à refinaria, sindicato ressalta preocupação com a exposição dos trabalhadores aos vetores da doença que já matou cinco pessoas na região de Campinas

Carrapato estrela
Carrapato-estrela, transmissor da bactéria causadora da Febre Maculosa. Foto: Prefeitura de Jundiaí

*por Vítor Peruch

A presença de carrapatos na área da Refinaria de Paulínia (Replan) tem levantado preocupações em relação à saúde dos petroleiros. Por meio de um ofício enviado na última terça-feira (20), o Sindipetro Unificado cobrou providências para controlar a população desses parasitas, especialmente nos treinamentos realizados na Lagoa Pedro Guerra. 

O sindicato argumenta que a presença desses carrapatos representa um risco à saúde dos trabalhadores e da população local, uma vez que eles podem transmitir doenças, como a febre maculosa. 

A febre maculosa é uma doença infecciosa, febril aguda e de gravidade variável. Ela pode apresentar desde formas clínicas leves e atípicas até formas graves, com uma taxa de letalidade elevada. Os carrapatos, conhecidos como vetores dessa doença, podem transmitir a bactéria Rickettsia rickettsii para os seres humanos por meio de sua picada. Portanto, é essencial tomar medidas eficazes para controlar a população de carrapatos na área da refinaria e prevenir a propagação da doença, aponta o ofício. 

No estado de São Paulo, desde o início deste ano, um total de 19 pessoas receberam diagnóstico de febre maculosa. Infelizmente, cinco delas vieram a óbito, e quatro desses casos estão associados ao surto ocorrido na Região Metropolitana de Campinas.

As medidas de controle de carrapatos podem incluir a aplicação de produtos específicos para reduzir sua população, a implementação de ações de vigilância e monitoramento para identificar áreas de maior incidência, bem como a conscientização dos trabalhadores e da população sobre a prevenção e os cuidados necessários para evitar a picada desses parasitas.

“A Replan, juntamente com as autoridades competentes e órgãos de saúde, deve avaliar prontamente a solicitação do sindicato e implementar um plano de ação efetivo para controlar a população de carrapatos na área da refinaria. Isso garantirá um ambiente de trabalho seguro para os funcionários e protegerá a saúde da comunidade local”, afirma o diretor do Sindipetro Unificado, Jorge Nascimento.

O Sindipetro Unificado continuará acompanhando de perto o desenvolvimento dessa situação e espera que as providências sejam tomadas o mais breve possível, garantindo assim a segurança e a saúde de todos os envolvidos na área da Replan.

 

Posts relacionados

Vitória: Justiça do Trabalho determina execução do “Processo dos Feriados” da Replan

Vitor Peruch

Sindipetro Unificado convoca setoriais para debater alimentação na Replan

Maguila Espinosa

Conselheiro da Petros visita a Replan e dialoga com aposentados em Campinas

Guilherme Weimann