Replan propõe mudanças em testes de covid que atendem grande parte das reivindicações

Em reunião com o Sindipetro-SP nesta sexta-feira (23), Refinaria de Paulínia aceitou disponibilizar transporte e realizar a testagem duas horas antes do início da jornada

(Foto: Breno Esaki/Agência Saúde)

Por Guilherme Weimann

Nesta sexta-feira (23), diretores do Sindicato Unificado dos Petroleiros do Estado de São Paulo (Sindipetro-SP) se reuniram com representantes da Refinaria de Paulínia (Replan) – a maior em capacidade de processamento de derivados da Petrobrás – para discutir o modelo de testagem dos trabalhadores em relação ao coronavírus.

O Sindipetro-SP apresentou o resultado das assembleias, ocorridas entre os dias 13 e 19 de outubro, que rejeitou por 78,79% o atual modus operandi relativo aos testes, imposto de forma unilateral pela empresa em junho deste ano. Além disso, expôs as principais propostas apresentadas pela categoria.

A partir dessas considerações, a refinaria cedeu às reivindicações dos petroleiros e se comprometeu em modificar parte do atual sistema de checagem. Para o próximo ciclo 12, a empresa propôs que todos os grupos façam os testes no dia de retorno da folga em que a jornada se inicia às 19h30. Para isso, o transporte de turno, da própria empresa, passaria com duas horas de antecedência do horário usual.

Para o diretor do Sindipetro-SP, Arthur Bob Ragusa, esta nova proposta apresenta melhorias que foram conquistadas pelos trabalhadores. “Entendemos que existem avanços nesta proposta, com a realização do teste mais próximo da jornada de trabalho. O transporte também é um avanço, uma vez que o custo de deslocamento não foi assumido pela empresa em nenhum momento”, explica.

Assim como nos ciclos 10 e 11, o sindicato consultará a categoria sobre essas mudanças no modelo de testagem. Na próxima semana, ocorrerá reunião do Conselho Deliberativo (CD) da Federação Única dos Petroleiros (FUP) para se posicionar sobre a proposta da Petrobrás sobre a Participação nos Lucros e Resultados (PLR).

Após esta reunião, o Sindipetro-SP levará as discussões para apreciação da categoria, que também escolherá entre as tabelas de turno de 8 e 12 horas.  Nestas mesmas assembleias, os trabalhadores poderão opinar e votar sobre a aceitação das modificações do modelo de testagem.

O calendário será divulgado no site e nas redes do Sindipetro-SP logo após a reunião do CD da FUP

Histórico

O modelo foi implementado em junho, após cobranças formais e informações da direção do Sindipetro-SP, mas sua elaboração ocorreu de forma unilateral pela empresa. Dessa forma, os petroleiros são obrigados a se deslocarem à refinaria durante o período de descanso, com seus veículos particulares, para serem testados por meio de um sistema drive thru, duas vezes por mês, até dois dias antes de recomeçarem um novo ciclo de trabalho.

Leia também: Após intransigência da Replan, categoria debate próximos passos em relação aos testes

Além do incômodo de abdicarem de algumas horas de suas folgas, que são garantidas na legislação, os trabalhadores também têm que arcar com os custos do combustível e pedágios. A Replan está localizada no quilômetro 130 da Rodovia Zeferino Vaz (SP-332), em Paulínia (SP), e uma grande porcentagem dos seus funcionários moram em municípios vizinhos, como Hortolândia (SP), Valinhos (SP) e Campinas (SP).

Atualmente, cerca de 450 petroleiros, de um total de 976, continuam realizando suas atividades presencialmente. Grande parte é formada por profissionais que trabalham nas áreas operacionais da refinaria, conhecidos como trabalhadores do “turno”. Durante a pandemia, eles estão realizando jornadas de 12 horas, para evitar a troca constante de equipes. Com isso, trabalham três dias seguidos, folgam quatro, trabalham novamente três dias e folgam outros cinco. Os testes são feitos dois dias antes do recomeço de cada novo ciclo.

Testes rápidos

A testagem realizada pela Replan é do tipo IgM e IgG, mais conhecida como “teste rápido”. Diferentemente do tipo RT-PCR, que identifica a presença do próprio vírus Sars-Cov-2 no organismo, os testes do tipo IgM e IgG conseguem reconhecer a contaminação por covid-19 a partir de anticorpos.

As imunoglobulinas (Ig) são os anticorpos de defesa do organismo humano. O IgM é um tipo de anticorpo e a sua presença indica infecção de covid-19 na fase ativa, ou seja, quando o organismo já foi contaminado recentemente pela doença. Nessa etapa, o infectado é um possível transmissor do vírus. Já o IgG é um anticorpo que aparece em uma fase já avançada da infecção. Nessa etapa, a pessoa já não transmite mais o vírus.

Por isso, de acordo com a Anvisa, os testes rápidos conseguem detectar a presença do vírus no organismo apenas a partir do sétimo dia de infecção, com resultados mais confiáveis do décimo dia em diante, devido à janela imunológica.

Além disso, um estudo concluiu que este tipo de testagem, chamada de imunocromatografia, que analisa a presença de anticorpos a partir do sangue retirado do dedo da pessoa testada, apresenta uma taxa de 34% de falso negativo.

Por essas evidências, o Sindipetro-SP questiona a eficácia de realizar os testes dois dias antes de um novo início de jornada de trabalho. A principal proposta da categoria é que os testes sejam feitos na entrada da refinaria, antes do início de cada novo ciclo de trabalho.

Posts relacionados

Petrobrás descontará horas da greve mesmo com jornada reduzida no teletrabalho

Guilherme Weimann

Replan aprova tabela de 12 horas e Barueri terá segundo turno

Luiz Carvalho

Programa de saúde mental da Petrobrás exime gestores de responsabilidade

Luiz Carvalho

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Clique aceitar se você está de acordo ou pode cancelar, se desejar. Aceito Ler Mais

Política de Privacidade