Recap: Petrobrás acata pedido do Sindipetro-SP e reduz ocupação nos transportes

Para evitar a disseminação da covid-19 e da influenza, transportes passarão a ter ocupação reduzida dos assentos a partir deste sábado (8)

Transportes coletivos terão apenas 50% dos assentos ocupados e veículos leves apenas três pessoas

Nesta sexta-feira (7), a Petrobrás divulgou que os transporte coletivos de turno e do administrativo passarão a funcionar novamente, a partir deste sábado (8), com apenas 50% dos assentos ocupados na Refinaria de Capuava, em Mauá. A medida é uma forma de prevenir a disseminação da covid-19 e influenza, que estão em alta desde o início deste ano.

A medida foi tomada após solicitação do Sindicato Unificado dos Petroleiros do Estado de São Paulo (Sindipetro-SP), que enviou ofício ao responsável pelo setor de transporte na Recap cobrando medidas sanitárias diante da escalada de casos de síndromes respiratórias no país.

Além dos transportes coletivos, os veículos leves também passarão a ter ocupação máxima de três pessoas, sendo o motorista e dois passageiros no banco traseiro.

Suspensão das atividades presenciais do sindicato

A direção do Sindicato Unificado dos Petroleiros do Estado de São Paulo (Sindipetro-SP) decidiu suspender todas as atividades presenciais em suas três secretarias regionais (Campinas, Mauá e São Paulo) devido ao aumento do número de casos de covid-19 e influenza. Até o momento, cinco trabalhadores do sindicato já testaram positivo para covid-19 desde o início deste ano de 2022.

A suspensão começa na próxima segunda-feira (10) e vai até o dia 28 de janeiro, quando a direção reavaliará a situação sanitária no estado de São Paulo. Os atendimentos seguem normalmente de forma remota, das 8h às 17h, por e-mail e por telefone.

Posts relacionados

Petroleiros denunciam explosão de casos de covid na Petrobrás

Guilherme Weimann

Sindipetro-SP cobra medidas de prevenção à covid-19 na Recap

Guilherme Weimann

Sindipetro-SP suspende atividades presenciais por 15 dias em suas três secretarias

Guilherme Weimann