Petroleiros reforçam protestos contra fim da Justiça do Trabalho

Diretores do Unificado participaram no dia 29, em Campinas, de um ato em defesa da Justiça do Trabalho e dos direitos sociais. A manifestação aconteceu em frente ao Fórum Trabalhista, na avenida Norte-Sul, uma das vias mais movimentadas da cidade, e reuniu centenas de pessoas, entre representantes de sindicatos, da OAB, do Ministério Público do Trabalho e da Justiça de Campinas.

Os protestos pelo país ganharam força depois que Bolsonaro defendeu em seu governo a extinção da Justiça do Trabalho. “Na verdade, a Justiça do Trabalho nunca vai acabar. O que o governo quer é desmanchar os direitos sociais e do trabalho, em total prejuízo aos trabalhadores. A meta é desmontar e fragilizar a Justiça do Trabalho para dizer que ela não funciona. A reforma trabalhista já foi um passo, reduzindo direitos e impedindo o acesso do trabalhador à Justiça”, afirma o advogado do Sindicato e fundador da Associação dos Advogados Trabalhistas de Campinas (AATC), José Antonio Cremasco, que esteve presente na manifestação.

Protestos

O primeiro grande ato em defesa da justiça trabalhista foi realizado em 21 de janeiro na capital paulista, em frente ao Fórum do Trabalho de São Paulo, reunindo mais de mil pessoas. Agora, os manifestantes partem para Brasília, onde participam no dia 5 de fevereiro do Ato Nacional em Defesa da Justiça do Trabalho.