Petroleiros lamentam a morte de Jailson Melo Morais

Diretor do Sindipetro-RN, o petroleiro deixa uma vida de lutas pela categoria e por toda a classe trabalhadora

Com informações do Sindipetro-RN

Faleceu nesta quarta-feira (17), vítima da covid-19, Jailson Melo Morais. O petroleiro tinha 55 anos e estava internado no Hospital São Lucas, em Natal (RN), mas não aguentou às complicações causadas pelo vírus.

Jailson deixa a esposa, Adelania Pereira Dantas, e três filhos: Anna Clara Soares Dantas, Pedro Henrique Soares Dantas e Vitor Luís Soares Morais.

O velório será realizado hoje (17/02), para um número reduzido de pessoas, por volta das 16 horas, na capela do Centro de Velório Sempre, localizada na rua João Celso Filho, 1314, bairro São João, em Natal. O sepultamento será amanhã (18), às 9 horas, no Cemitério São Vicente de Paula, bairro Feliz Assú, sem número, também na capital potiguar.

Biografia de luta

Jailson Moraes nasceu há 55 anos em Assu, no Rio Grande do Norte. Formou-se técnico na Escola Agrícola de Jundiaí, em Macaíba (RN), e se graduou em Economia pela Universidade Estadual do Rio Grande do Norte.

Entrou em 1986 na Petrobrás como operador de produção nos campos terrestres do Rio Grande do Norte. Em 1988, compôs a chapa cutista vitoriosa no Sindipetro-RN e foi delegado sindical no vale do Assu, tendo participado do III CONCUT. Também integrou o Partido dos Trabalhadores (PT), no qual foi candidato a vereador em 1992 e suplente de senador em 2018, tendo ocupado diversos cargos na direção.

Atualmente, era operador aposentado no Alto do Rodrigues, e havia sido reeleito diretor do Sindicato dos Petroleiros e Petroleiras do Rio Grande do Norte (Sindipetro-RN), assumindo a cadeira de suplente na Diretoria de Comunicação para o triênio 2021-2024. Também foi dirigente da Federação Única dos Petroleiros (FUP) e coordenador do Projeto MOVA Brasil no Rio Grande do Norte.

Para o coordenador geral do Sindipetro-RN, Ivis Corsino, a partida de Jailson é uma perda irreparável. “Jailson não é apenas ‘mais uma vítima da covid’. São mais de 30 anos de uma vida carimbada por tantas lutas juntos. Alegrias e sofrimentos. Conquistas e derrotas. Hoje vai com ele um pouco de cada um de nós. Que seus familiares, amigos, amigas, todos os companheiros e companheiras e todos nós encontremos forças para continuar a jornada da vida. Que descanse em paz”, afirma Corsino.

O diretor aposentado do Sindicato Unificado dos Petroleiros do Estado de São Paulo (Sindipetro-SP), João Antonio Moraes, também demonstrou sua tristeza pela perda do companheiro. “Jailson era o militante presente em todos os fronts, com muita dedicação, coragem e disposição à luta coletiva. Eu sempre lhe perguntava como arrumava tempo para tanto. Uma perda inestimável, uma tristeza me invade a alma nesse momento. Fica o pedido de paciência e conforto a Deus”, disse Moraes.

Solidariedade

A diretoria do Sindipetro-SP demonstra toda sua solidariedade à família, aos companheiros e companheiras do Sindipetro-RN e à categoria de uma maneira geral, que perde um grande ‘petroleiro’, na melhor acepção da palavra – um lutador incansável por uma Petrobrás pública à serviço de todo o povo brasileiro.

Jailson Melo Morais, presente! Hoje e sempre!

Posts relacionados

RMNR: Sindicatos entram com embargos de declaração contra decisão de Moraes

Guilherme Weimann

Existem alternativas para a atual política de preços dos combustíveis?

Guilherme Weimann

FUP tem sede invadida uma semana após sindicato de Paulínia (SP)

Andreza de Oliveira