Petroleiros em Luta: o adicional de dutos é um direito do trabalhador

Em setoriais realizadas nos Terminais Transpetro, trabalhadores mostraram que recuperar adicional de dutos é fundamental para categoria

*Por Rodrigo Alves de Araújo

O Sindipetro Unificado, representando os trabalhadores da Transpetro, realizou setoriais nas instalações da empresa nesta semana para retomar a discussão sobre o adicional de dutos para a força de trabalho. Essa demanda ganhou destaque como parte das negociações do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), e os petroleiros veem nisso uma oportunidade crucial para enfatizar sua importância.

É fundamental frisar aqui: durante os anos de desafios e desmonte que passamos, foram os trabalhadores que garantiram a segurança e a operacionalidade do sistema da Transpetro. Suas contribuições são inegáveis, e é justo que sejam reconhecidas através do adicional de dutos. O Sindipetro acredita que essa compensação é um direito ao reconhecimento pelos esforços incansáveis que mantiveram a empresa funcionando.

Em junho deste ano, o Sindipetro Unificado já havia enviado um ofício à Transpetro informando que os trabalhadores não participarão mais da Brigada de Incêndio Voluntária. Essa decisão, tomada após assembleias realizadas naquele mês, era um sinal de que os petroleiros estão dispostos a pressionar por seus direitos, o que foi reafirmado através das setoriais realizadas nesta semana.

É importante destacar também que, apesar da atitude decidida dos petroleiros em deixar a Brigada de Incêndio Voluntária como forma de pressionar por seus direitos, esses trabalhadores nunca abandonaram suas responsabilidades em garantir a segurança e defender os interesses da empresa e essa decisão não afetou emergências. Ao longo dos anos, demonstraram compromisso inabalável com a Transpetro, mantendo-se firmes em suas funções, mesmo quando confrontados com desafios operacionais e condições adversas, o que reforça ainda mais a necessidade de reconhecimento e valorização de seus esforços.

O adicional de dutos é mais do que uma questão financeira; é um direito, uma questão de respeito e reconhecimento pelo esforço incansável dos petroleiros. As setoriais mostraram que a categoria está unida em sua busca por uma solução justa, e a Transpetro deve estar disposta a ouvir e negociar para garantir que seus trabalhadores sejam tratados com a dignidade que merecem.

*Rodrigo Alves de Araújo é trabalhador da Transpetro e diretor do Sindipetro Unificado.

 

Posts relacionados

Sindipetro Unificado convoca setoriais para debater alimentação na Replan

Maguila Espinosa

Petroleiros realizam ato no Dia dos Aposentados e cobram soluções para equacionamentos

Vitor Peruch

Edital de convocação de assembleia

Ademilson Costa