Manifestações relembram atos golpistas de 8/1 e reafirmam defesa da democraia

A diretora da FUP, Cibele Vieira, está presente em Brasília, representando a categoria petroleira no ato que reúne os três poderes no Congresso Nacional em defesa da democracia. 

todos pela democracia
Atos estão ocupando espaços públicos nesta segunda, em diferentes locais do país, em defesa da democracia. (Foto: divulgação)

Com informações da FUP e do Brasil de Fato

No mesmo dia da 23ª fase da Operação Lesa Pátria, que investiga os atos golpistas, uma série de manifestações são realizadas no país com pedidos para não haver anistia aos criminosos. Os atos começaram já neste domingo (7), com o “Ato em Defesa da Democracia“, em Brasília, no Distrito Federal, realizado por organizações sociais, como a Central Única dos Trabalhadores no DF (CUT-DF) e o Fórum de Oposição Permanente ao Governo Ibaneis.

O ato dos movimentos e partidos políticos na capital federal foi realizado domingo para não concorrer com o ato institucional que reúne nesta segunda (08) líderes dos três Poderes e representantes do governo. O ato “Democracia Inabalada” acontece no próprio dia 8, no Congresso Nacional, a partir das 14h.

A diretora da FUP, Cibele Vieira, está presente em Brasília, representando a categoria petroleira no ato que reúne os três poderes no Congresso Nacional em defesa da democracia. “Depois de um ano da tentativa de golpe e de não reconhecimento do resultado legitimo das urnas, a democracia brasileira segue firme e forte. A FUP está presente para afirmar que não deixaremos que aqueles que não reconhecem a democracia sigam puxando o freio de mão do projeto de governo do presidente Lula”, afirmou.

O dia que marca um ano da intentona bolsonarista terá manifestações na tarde desta segunda em diversas partes do país. Em São Paulo, o ato organizado pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo acontece na Avenida Paulista, junto ao Museu de Arte de São Paulo (MASP), às 17h.

O evento no Rio de Janeiro também acontece às 17h de segunda-feira (8). A Frente Povo Sem Medo e Frente Brasil Popular organizam o encontro na Cinelândia, tradicional ponto de concentração de manifestantes na região central da cidade.

Em Belo Horizonte, a Casa do Jornalista, sede do sindicato dos profissionais da área, recebe o “Ato em Defesa da Democracia – Ditadura Nunca Mais”. O encontro é organizado pelo próprio sindicato, por partidos políticos e por centrais sindicais, e começa às 16h.

Os Comitês Populares de Luta do Espírito Santo, articulados com outros movimentos populares e sindicais e partidos políticos, realizam um ato na segunda-feira (8), a partir das 16h30, junto à Assembleia Legislativa (Ales). “Sem anistia para terroristas”, diz o comunicado divulgado pelo grupo.

Operação Lesa Pátria

A Polícia Federal deflagrou a operação Lesa Pátria nesta segunda-feira (8), para identificar financiadores e idealizadores dos atos golpistas de 8 de janeiro do ano passado, que culminaram na invasão e depredação dos prédios dos Três Poderes, em Brasília.

Ataque de vândalos de extrema direita ao STF durante invasões do 8 de janeiro / Foto: Sérgio Lima/AFP
A 23ª fase da Operação Lesa Pátria foi para as ruas com 47 mandados judiciais autorizados pelo Supremo Tribunal Federal (STF), sendo 46 mandados de busca e apreensão e um de prisão preventiva nos estados do Rio Grande do Sul, Bahia, Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais, Maranhão, Paraná, Rondônia, São Paulo, Tocantins, Santa Catarina e Distrito Federal.
: Para especialistas, pedido de anistia aos envolvidos no 8 de janeiro repete padrão histórico do país ::

Em nota, a PF afirma que os fatos investigados constituem, em tese, os crimes de abolição violenta do Estado Democrático de Direito, golpe de Estado, dano qualificado, associação criminosa, incitação ao crime, destruição e deterioração ou inutilização de bem especialmente protegido e crimes da lei de terrorismo.

 

Posts relacionados

Após atos, presidente da Petrobrás promete solução para equacionamentos

Vitor Peruch

Unificado realiza atos nas bases para dialogar sobre pauta reivindicatória para o ACT

Maguila Espinosa

Petroleiros se unem em todo o país contra o golpismo e as ameaças às refinarias

andre