Halloween uma ova, aqui é Saci!

Dicas

Luiz Abilio, aposentado | Replan | Filme | “Além da eternidade”, de Steven Spielberg, mostra uma relação entre vida e morte que me emociona.

Edson Lopes, aposentado Recap | Música | “A Canção do senhor da Guerra”, do Legião Urbana. Apesar de não ser uma das músicas mais famosas da banda, tem uma bela mensagem.

João Lima, aposentado Recap | Livro | “Quarto de despejo”, de Carolina de Jesus, é um livro bem forte, cru e real, que retrata as dificuldades do dia a dia de uma maneira incrível.


Cultura

Halloween uma ova, aqui é Saci!

Por Norian Segatto

Tudo bem, é legal se fantasiar de vampiro, bruxa, zumbi e comemorar o Dia das Bruxas. A origem da data é controversa, a versão mais aceita é que o nome deriva do inglês “All Hallows’ Eve”, algo como véspera do dia santo. Desde o século 18, historiadores apontam para um antigo festival pagão ao falar da origem do Halloween: o festival celta de Samhain (termo que significa “fim do verão”). No Brasil, a comemoração ganhou força a partir da década de 1980, mas gerou “inimigos”, que proclamaram 31 de outubro o Dia do Saci, como forma de resistência cultural e valorização do folclore e cultura nacionais.

O folclore do saci surgiu no sul do Brasil e foi imortalizado por Monteiro Lobato em 1918, em seu livro de estréia, o Saci-Pererê. De lá para cá, a fama do negrinho de gorro vermelho e uma perna só cresceu a ponto de tornar-se um dos principais símbolos da cultura nacional, a ponto de ser criada, em 2003, a Sociedade dos Observadores de Saci (Sosaci). A missão dos observadores é entender os sinais da presença do ser de uma perna só reunindo os interessados em valorizar e difundir os mitos brasileiros. O jornalista e escritor Mouzart Benedito, um dos fundadores da Sosaci, conta que no final dos anos 1990 começou a ficar incomodado com a invasão da festa estrangeira. “A gente começou a ficar invocado com isso, nessa época surgiu a Associação de Criadores de Saci, em Botucatu e eu comecei a fazer coisas protestando contra o Halloween, falando sobre o folclore nacional”. Mouzar reuniu um pequeno grupo e deu início aos trabalhos da associação, em São Luiz do Paraitinga. A Sosaci chegou a ter mais de mil integrantes com membros de todo o Brasil e até do Chile, Estados Unidos, Itália e Argentina.

Mouzar Benedito, fundador da Sosaci

Este ano o grupo promoveu a 17ª edição da Festa do Saci, em São Luiz do Paraitinga, com direito a três dias de programação de oficinas, contação de história lançamento de livros, exposições e espetáculos. Resgatar a cultura e o folclore nacional por meio um de seus personagens mais icônicos é a proposta e missão da Sosaci. “Já rodei o Brasil inteiro dando palestras e nunca precisei explicar quem era o saci. Todo mundo sabe quem é o negrinho que tem o gorrinho mágico e uma perna só”, conta Mouzar Benedito.

Para saber mais acesse https://www.sosaci.org.br.


Esporte

Petrobrás corta pela metade patrocínio para atletas do Pan

Atletas patrocinados pela Petrobrás

A Petrobrás vai investir em 202 R$ 9,8 milhões para patrocinar 25 atletas (cinco deles, paraolímpicos), que disputarão os Jogos Pan-Americanos de Lima (Peru). O valor é menos da metade de quando o projeto foi lançado, em 2015, R$ 19,8 milhões na época. O número de atletas contemplados continua o mesmo.

 

Entre os atletas estão nomes como Isaquias Queiroz (canoagem velocidade), Marcus D’Almeida (tiro com arco), Maicon Andrade (taekwondo), Martine Grael e Kahena Kunze (vela) e Ana Marcela Cunha (maratona aquática). Dos novos esportes olímpicos, Pedro Barros e Leticia Bufoni (ambos do skate) e Ian Gouveia (surfe) também compõem a equipe.

Nos esportes paralímpicos, estão entre os patrocinados pela empresa o nadador Daniel Dias, recordista de medalhas, e Silvânia Costa e Petrúcio Ferreira, do atletismo.

Além dos atletas, a Petrobrás investe em outras áreas como a Stock Car, mas os valores para financiamentos em esportes e cultura caíram vertiginosamente e mudaram de foco, como qualquer empresa privada.