Em 2022, Sindipetro-SP consolidou acessos ao site e alcançou 1,5 milhão nas redes

Em ano eleitoral e com corpo reduzido, equipe de comunicação manteve número de leitores em suas reportagens e conquistou aumento expressivo nas publicações das redes sociais

sindipetro-sp
Edições especiais do jornal contribuíram com o debate sobre o setor petrolífero durante as eleições

Por André Lucena*

O ano de 2022 foi marcado pela mais importante eleição da recente democracia brasileira. A disputa entre Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL), vencida pelo primeiro, marcou a escolha entre a sustentação do regime democrático e a reafirmação de uma extrema direita pautada pelo discurso – e prática – de ódio.

Na categoria petroleira, essa tensão social reverberou de maneira notória e foi marcada, majoritariamente, por uma luta permanente contra a tentativa de privatização da Petrobrás – a maior empresa de economia mista do país.

Tudo isso gerou frutos, como a retirada da Petrobrás da lista de privatizações e a mudança na presidência da companhia, assumida pelo ex-senador Jean Paul Prates – apoiado pela Federação Única dos Petroleiros.

Mas o ano de 2022 ainda reverberará por muito tempo – tanto do ponto de vista político como humano. E, por isso mesmo, não faltaram histórias contadas e recontadas nos variados canais de comunicação do Sindicato Unificado dos Petroleiros do Estado de São Paulo (Sindipetro-SP).

Internamente, o sindicato vivenciou e noticiou os falecimentos dos seus fundadores Francisco de Paula Garcia Caravante e Jacó Bittar. Buscou, ainda, renovar o seu corpo de comunicação, o que impôs o desafio de passar boa parte do ano de 2022 com a equipe reduzida.

Ainda assim, os resultados obtidos no ano demonstraram a manutenção do interesse geral pelos materiais produzidos.

Site

No total, o site recebeu 182.110 visitas (pequena queda de 0,35%) a 295.375 páginas (queda de 3,39%), com tempo médio de permanência de 3 minutos e 7 segundos (4 segundos a mais, em comparação a 2021). Em termos de gênero, 64,3% dos usuários foram homens, enquanto 38,29% foram mulheres.

No que se refere à idade, 17,71% do público que acessou o site tinha entre 18 e 24 anos, 22,7% tinha entre 25 e 34 anos, 20,12% tinha entre 35 e 44 anos, 15,28% tinha entre 45 e 54 anos, 12,71% entre 55 e 64 anos, e 10,6% tinha mais de 65 anos. Em comparação a 2021, o que se percebeu, em matéria de idade, foi um crescimento do público mais jovem.

A maior parte dos acessos ao site ocorreu por meio de aparelhos celulares (76,6%), enquanto os acessos por computadores foram 22,86%. Tablets representaram 0,54%.

Em termos geográficos, os acessos vieram, principalmente, das cidades de São Paulo (13,90%), Rio de Janeiro (9,30%), Campinas (5,12%), Belo Horizonte (2,55%), Brasília (2,22%), Salvador (2,21%) e Curitiba (2,14%).

Confira a lista das 10 matérias mais lidas em 2022:

  1. Afinal, o PT quebrou a Petrobrás?
  2. Oito canais sobre política no Youtube para conhecer em 2022
  3. Maior refinaria da Petrobrás serve feijão com pedras para os trabalhadores
  4. Maior refinaria da Petrobrás impede entrada de carros com adesivos do Lula
  5. Venda da UFN3 pode afetar o agronegócio e influenciar nos preços dos alimentos
  6. Bilionário acusado de suborno e sonegação assume vaga do governo no CA da Petrobrás
  7. A gestão da Replan está tentando te enganar…
  8. Quem é Rodolfo Landim e qual o seu passado na Petrobrás?
  9. Importação de diesel russo é solução improvável para alta do combustível no Brasil
  10. Após servir pedra no feijão, maior refinaria da Petrobrás distribui salada com larvas

Redes Sociais

A página do Sindipetro-SP no Facebook obteve um crescimento de 65,89% no número de seguidores (25.749) e de 43,6% no número de curtidas (8.267). O alcance das publicações apresentou um crescimento de 69,7% (1.425.289 pessoas). No total, a página realizou 367 postagens.

No Instagram, o perfil do Sindipetro-SP teve um crescimento de 9,93% no número de seguidores (6.093), alcançando 281.411 pessoas (crescimento de 40,3%) a partir de suas publicações. As visitas ao perfil cresceram 85,8%, totalizando 21.165 em 2022.

No caso do Twitter, a página do Sindipetro-SP ganhou 601 seguidores, totalizando 3.226.

Já a TV Petroleiros, canal do Sindipetro-SP no Youtube, alcançou 6.414 inscritos, com 1,3 mil novos inscritos (crescimento de 19,87%). O público total foi de 130.061 pessoas (crescimento de 50% em relação a 2021), que consumiram 6 mil horas de conteúdo (crescimento de 19%). Em 2022, o Peão Refinado, inclusive, foi tema de atividade de extensão da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), denominada “Ideias linguísticas e comunicação tecnopolítica – produção, circulação e recepção de discursos político-institucionais em contexto de hiperdigitalização das práticas”.

Jornal impresso

No ano passado, o Jornal Petroleiros teve uma tiragem de, aproximadamente, 65 mil exemplares, incluindo uma edição especial distribuída gratuitamente durante as eleições.

*Sob orientação.

Posts relacionados

A história da Petrobrás passa há 70 anos pela luta dos petroleiros e petroleiras

Maguila Espinosa

Sindicato tem chapa única registrada para a Eleição Sindical

Ademilson Costa

Petroleiros elegem comissão eleitoral para as eleições do Sindipetro-SP

Guilherme Weimann