Com esta proposta não tem acordo

Durante duas semanas, dirigentes da FUP e da FNP se realizaram diversas reuniões com representantes da empresa para debater pontos importantes da pauta de reivindicação.

Na reunião ocorrida no dia 2, foram discutidos segurança no emprego, relações sindicais e terceirização;as federações voltaram a defender a manutenção dos direitos pactuados no atual Acordo Coletivo de Trabalho, mas a Petrobrás insiste em acabar com 15 das atuais 17 cláusulas dos capítulos que tratam destes pontos. Os dirigentes voltaram a se reunir com a empresa no dia seguinte para buscar um entendimento.

A intenção dos gestores é clara: rebaixar o ACT para deixar o caminho livre para a privatização, sem garantia de direitos, nem de empregos.

Na tarde da quinta-feira, 4, a Gestão de Pessoas encaminhou um documento de oito páginas com a nova “proposta”. Para o coordenador nacional da FUP, José Maria Rangel, “a proposta da Petrobrás é uma afronta aos trabalhadores”. Rangel e o coordenador da FNP, Adaedson da Costa, gravaram um vídeo logo após a saída da reunião. Clique aqui e confira o que disseram os dirigentes.

A contraproposta apresentada pela empresa propõe reajuste de 1%, mantém o corte de diversos direitos, rebaixa direitos conquistados e aponta para uma drástica redução do custo de mão obra. “Essa proposta é inaceitável para a direção do Unificado, vamos discutir nacionalmente e convocar a categoria para se posicionar, se mobilizar e preparar os próximos passos desta batalha”, avalia o coordenador do Unificado, Juliano Deptula.

Reunião do Conselho Deliberativo

Na sexta-feira, 5, o Conselho Deliberativo da FUP (composto pela direção executiva da entidade mais representantes de todos os sindicatos) se reuniu no Rio de Janeiro para discutir a proposta apresentada pela Gestão de Pessoas e debater a continuidade da campanha salarial.

Até o fechamento deste boletim, a reunião não havia terminado. Acesse a página do Unificado para saber o resultado da reunião do CD e o que as entidades sindicais estão propondo para a continuidade da campanha salarial.

Não existe saída individual, a luta é de todos nós!

Confira aqui o documento encaminhado pela Petrobrás Nova Proposta ACT Petrobras