Bronca do Peão: Gestores do laboratório da Replan desrespeitam procedimentos

É fundamental que os gestores negociem as metas com os funcionários e que cumpram os procedimentos da empresa 

Drone Replan
Na Bronca do Peão, petroleiro que não quis se identificar, reclama de procedimentos no laboratório da Refinaria de Paulínia (Foto: Vinícius Denadai)

Por Bronca do Peão*

Desrespeitando os procedimentos da empresa PE-1BPR-00207 Auditoria comportamental, que determina “3.1.2. As auditorias comportamentais devem ser conduzidas pela liderança e profissionais de SMS (engenheiros de segurança e técnicos de segurança).”, os gestores do setor colocaram essa meta para todos os trabalhadores do laboratório, ignorando que essa tarefa cabe exclusivamente às lideranças.

Além do procedimento, o curso de auditoria comportamental elenca quem seriam essas lideranças que começam pelo presidente da empresa, e passam pelos diretores, gerentes até a linha final que são os supervisores (função gratificada). 

Fora deste cenário, os demais trabalhadores só poderiam participar como convidados (fonte PE-1BPR-00207 Auditoria comportamental 3.1.5). Outros empregados próprios ou profissionais contratados podem ser convidados a participar das auditorias, como acompanhantes ou observadores.

É fundamental que os gestores negociem as metas com os funcionários e que cumpram os procedimentos da empresa e não terceirizem uma obrigação que cabe a eles.

É um desalinho completo com a política da Petrobrás, que almeja o foco nas pessoas. Trata-se de um cenário autoritário que não cabe mais nos tempos atuais.

* O texto foi enviado por petroleiro da base que preferiu não se identificar.

Posts relacionados

Sindipetro Unificado convoca para ato na Replan exigindo o fim dos equacionamentos

Maguila Espinosa

Bronca do Peão: Viveiro de cascavéis e outras serpentes

Vitor Peruch

Bronca do Peão: Recap erra o arremesso ao colocar Hortência no kick-off da PPI 2024

Vitor Peruch