ANP demora 30 dias para informar morte de petroleiro em plataforma de exploração

Causado por Covid-19, o óbito registrado dia 30 de maio só foi divulgado em 30 de junho

Foto: Agência Petrobrás

No último dia 30 de junho, a Agência Nacional do Petróleo (ANP) divulgou a segunda morte de petroleiro a bordo de plataformas de exploração e produção de petróleo em alto mar causada pelo novo coronavírus. Entretanto, o óbito, registrado em 30 de maio, só foi veiculado um mês após ocorrido e com base em dados fornecidos por uma empresa terceirizada não identificada.

De acordo com a agência, o petroleiro terceirizado desembarcou na plataforma em 12 de maio, apresentou os sintomas da doença no dia 18 e veio a óbito dia 30 do mesmo mês. O trabalhador operava uma sonda de perfuração da empresa contratada pela Petrobrás. 

A primeira morte de petroleiro em plataformas de exploração foi registrada em 26 de abril e, segundo a ANP, até o momento 1.391 trabalhadores embarcados foram contaminados e, desse total, 1.298 estão recuperados.

Em boletim, o Ministério de Minas e Energia divulgou em 29 de junho que a Petrobrás contava com 211 trabalhadores próprios (de um total de 46.416 que operam em terra e plataformas) contaminados com a Covid-19 e, destes, três precisaram ser hospitalizados.

 

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Clique aceitar se você está de acordo ou pode cancelar, se desejar. Aceito Ler Mais

Política de Privacidade