• Home
  • Daesp
  • Aderir ao PP-3 é suicídio, alerta diretor Carlos Cotia

Aderir ao PP-3 é suicídio, alerta diretor Carlos Cotia

Carlos Cotia durante debate em Campinas

 

“O PP-3 é um suicídio!”. O alerta foi dado pelo diretor aposentado do Unificado Carlos Cotia, nas palestras realizadas nos dias 4, 5 e 11 de junho, nas regionais São Paulo, Campinas e Mauá. Mais uma vez, o Sindicato reforçou o perigo que o PP-3 representa para o futuro do petroleiro. Cotia deixou claro que o plano é uma armadilha, ao contrário do que prega a Petrobrás.
Segundo ele, a reserva matemática que a empresa afirma ser do beneficiário não é dinheiro. “A Petrobrás diz que você tem dinheiro, mas é mentira. O que você tem é patrimônio. Ela (Petrobrás) pega o bolo de dinheiro que está lá na Petros e que pertence a todos e diz o seguinte: isso aqui vale 1 milhão de cotas, e você vai levar cotas e não dinheiro”, esclarece o dirigente.
Para fugir da arapuca que é o PP-3, Cotia aponta duas saídas: ficar no PP-1 ou aderir à proposta alternativa, construída pelo Grupo de Trabalho (GT) Petros. “A melhor solução para o equacionamento do déficit, com menor prejuízo é a proposta alternativa”, assegura Cotia.
O representante dos trabalhadores no Conselho de Administração da Petrobrás, Danilo Silva, enfatizou que a estratégia com a mudança de plano é privatizar a companhia. “Não tem saída individual. Temos que estar juntos e vamos resistir como já aconteceu em 83 e 95”, declarou.