“Óbito não é alta”: Levante escracha a Prevent Senior

Protesto ocorreu em uma das sedes da operadora em São Paulo com o objetivo de denunciar o “negacionismo e a política de morte do governo”

Movimento de juventude pintou a frente de uma das sedes da operadora de saúde na capital paulista (Foto: Guilherme Gandolfi/Levante Popular da Juventude)

Por Marcelo Hailer, da Revista Fórum

O Levante Popular da Juventude realizou, na manhã desta segunda-feira (30), um escracho na porta da empresa Prevent Senior, em São Paulo (SP).

O objetivo do grupo é denunciar a rede hospitalar que, em conluio com o governo Bolsonaro, transformou os seus pacientes em cobaias para testar o famigerado “tratamento precoce” contra a covid-19.

“Manchamos a Prevent Senior com tinta vermelha e espalhamos os dólares de Bolsonaro para denunciar aqueles que eles lucraram com a morte de milhares de pessoas. A empresa fez tudo isso com apoio do Governo Federal, pois tinha relação direta com o gabinete paralelo, que organizou esquemas de corrupção na compra de vacinas da Covaxin e que estimula instituições que fomentam o uso do Kit Covid”, afirma Julia Aguiar, da coordenação nacional do Levante Popular da Juventude e vice-presidenta da União Nacional dos Estudantes.

Além disso, o grupo afirmou que escracharam “a Prevent Senior e o governo Bolsonaro por acreditar numa saúde que cuida e prioriza a vida do povo brasileiro, que tenha como base a ciência e que seja pública e universal. A falácia de que a privatização de serviços essenciais para o povo seria a solução é dia após dia derrubada”.

Saúde não é experimento

Ativistas lançaram o movimento Saúde Não É Experimento e estão colhendo assinaturas para que a Agência Nacional de Saúde (ANS) proteja os usuários da Prevent Senior e realize uma intervenção e investigação na rede hospitalar.

“A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) precisa intervir na gestão da Prevent Senior. Essa intervenção seria feita através de um dispositivo chamado direção técnica, em que a Agência, após uma investigação na empresa, coloca em marcha um plano de ação para proteger os usuários e resolver os problemas encontrados”, informa o texto do abaixo-assinado.

Posts relacionados

Trabalhadores da Replan protestam contra privatização da Rlam

Odara Monteiro

Caravana unificada tem saldo positivo contra terceirizações em São Paulo

Andreza de Oliveira

Petroleiros na rua pelo fim do genocídio, comida no prato e combustível a preço justo

Andreza de Oliveira